XOKÓ – SE

XOKÓ – SERGIPE

Histórico dos Xokó

O povo Xokó vive na Aldeia Indígena São Pedro situado no município de Porto da Folha. Atualmente somos o único grupo indígena residente em Sergipe. A área indígena Xokó limita-se ao Norte com o rio São Francisco que é um divisor natural entre Sergipe e Alagoas, ao Leste com a fazenda Araticum, ao Oeste com o Quilombo do Mocambo e ao sul com as fazendas Nazaré, Quiribas e Canta Galo. A comunidade Xokó está a uma distância de aproximadamente 210 km de Aracaju e 30 km da sede do município Porto da Folha.

A história do nosso povo é uma história de luta, sofrimento e vitória. Com a chegada da família Brito na terra indígena Belém, durante muito tempo fomos obrigados a negar nossa própria identidade e deixar de lado os costumes e tradições.

A situação cada vez mais piorava, passamos a trabalhar para os Brito em troca de alimentação e moradia. Como os fazendeiros diziam-se donos das terras faziam nossos parentes de escravos e não poupavam na hora de castigá-los. Por não resistirem aos maus tratos muitas famílias foram embora, outras foram expulsas e algumas pessoas morreram.

Diante de tanto sofrimento não tivemos outra saída a não ser reconquistar o território, a primeira retomada foi a Ilha de São Pedro, depois a terra Caiçara, poucos não foram os sofrimentos, mas felizmente hoje temos nossas terras conquistadas.

Hoje com a liberdade de expressão cantamos e dançamos nosso toré, praticamos a nossa cultura que é a nossa identidade.

Uma das principais características do nosso povo é o artesanato, no inicio a cerâmica era o forte na aldeia, atividade predominantemente feminina, mas os homens cumpriam com o seu papel nessa arte e assumiam a responsabilidade de ir buscar o barro no barreiro. Durante muito tempo a cerâmica foi a maior fonte de sustentabilidade do povo Xokó.

Hoje confeccionamos vários enfeites para o corpo, como a saia feita de casca de Imbira e palha do coqueiro, o cocá e os brincos confeccionados com penas; o maracá produzido com coité ou cabaça, colares, pulseiras, anéis entre outros.

Todos o artesanato produzidos é a nossa cultura, é a reafirmação da nossa identidade, é a nossa vida, é a conquista de uma longa caminhada.